Biografia


“Um fotógrafo é, literalmente, alguém que desenha com luz, um homem que escreve e rescreve o mundo com luzes e sombras.”
– Sebastião Salgado

Renata Vasconcellos é artista visual com trabalhos em vídeo e fotografia.

O OLHAR DE RENATA
Ampliar nossa percepção através do outro, descobrir cores, odores , amores.
Ver luz nas sombras revelando imagens do porão de nossas almas.
Comungar em frequência de êxtase nos céus revelados com as mil gamas do cinza, aquela cor que insiste em estar entre tudo ou nada.
Ficar entre tudo ou nada, um vácuo que nos faz sustentar a leveza do olhar, o peso do ser.
O colorido que explode  em nosso peito, reconhecendo a alegria. Assim o olhar de Renata Vasconcellos desperta em mim o que eu procuro, mesmo sem saber…
– Denise Accioly, Arquiteta

CURRÍCULO | DIREÇÃO DE VÍDEO

2008 – Reflexos – Selecionado para o Festival de Cinema Livre no Centro Cultural Banco do Brasil – RJ

2006 – A Água, Ralph Steiner Revisitado – Selecionado para o Festival de Cinema Livre no Centro Cultural do Banco do Brasil -RJ; participou da exposição coletiva Maria, a Louca na Galeria de Arte do Centro Cultural Candido Mendes – RJ

2005 – Nós Chamamos o Céu para Dançar com a Terra – Documentário sobre o Festival de Dança e Cultura Indígena da Serra do Cipó, Minas Gerais

2004 – Tecnologia de Ponta – Vídeo sobre o trabalho da artista plástica Suely Fahri

2002 – Ares de Cristais – Do Projeto Kandinsky, exibido no Congresso Internacional sobre Laban no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

1997 – BRASILEIRO – Pertence ao acervo do Long Beach Museum of Art Foundation (Califórnia – EUA), Centro Cultural Banco do Brasil (Rio de Janiero), Fundação Athos Bulcão(Brasilia). Recebeu Menção Honrosa no Festival Nacional Vídeo do Instituto Goethe e da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

1993 – GRAFITTI – Selecionado para o International Festival of the Image – Nova Iorque – EUA

Formação Acadêmica
Mestre em Ciência da Arte – Universidade Federal Fluminense
Dissertação: As Falas do Corpo na Videografia de Bill Viola – 2001